quinta-feira, 30 de abril de 2009

Star Wars Saga


Em uma sessão de jogo com sete jogadores e que, exatamente ainda por isso, destacou-se por durar pouco mais de duas horas, estreamos personagens na mais recente versão de um RPG do universo de George Lucas, o Star Wars Saga.

Eu fiz um nobre duelista, embora só tenha vindo com o nome e o conceito, deixando a mecânica para o GM, meu prezado Daniel Bezerra, que me veio com um personagem a contento, um nobre duelista de uma casa nobre decadente, forçada a seguir o caminho de corsários e low-lives semelhantes - sem jamais perder o estilo, o otimismo e o sorriso colgate e a oportunidade de fazer alguma acrobacia arriscada, necessária ou não, e ainda, com sucesso ou, em especial no caso de hoje, não...

É o moço ai da foto.


O nome? Errol Flynn, é claro, sem tirar nem por. Soa "starwarish", ao meu ver.

Foi divertido, especialmente pelo jogador que veio com um personagem que era um dróide de combate, e que se provou digno de... bem, ser um dróide de combate.

Foi divertido, bastante divertido. Infelizmente não conheço mais esta variante do d20 (que, ao contrário do que pensava, não tem a ver com a 4a edição de D&D) para poder opinar. Somente que foi bastante ágil, apesar da pancadaria em que se resumiu a sessão, além de uma breve introdução - não há melhor maneira de estrear e apresentar um sistema, afinal.

Um comentário:

otelhado disse...

SW Saga foi a plataforma de testes de D&D 4E - ou assim dizem. Há algumas coisas em comum, mas o D&D acabou ficando bem diferente, mesmo...

Que bom que gostou! Vamos ver o que apronto na próxima vez.